www.PecasdeCarros24.pt

2018-08-17 – Reportagem do 15º Encontro do Grupo Motard Vilar de Mouros

Para ver todas as fotos e videos, CLICA NA FOTO abaixo!

 

15º Encontro do Grupo Motard de Vilar de Mouros

17 a 19 de Agosto – Vilar de Mouros

 

Foi com gosto e muita curiosidade que aceitei o convite para viajar até ao Alto Minho e viver este encontro do Grupo Motard Vilar de Mouros (GMVM).

Depois de uma viagem feita até ao Porto por AE, com calor e com calma, voltei a circular na bonita EN13 passando por Póvoa de Varzim, Viana do Castelo até chegar à “testa” do mapa (Caminha). Este é daqueles percursos que já não fazia desde 2010 e que deu muito gosto fazer. As estradas estão em estado bastante aceitável e recomendam-se. Já agora, para os menos atentos, a foto de fundo do site Motard FM, foi precisamente tirada em Caminha junto à foz do Rio Minho e com Espanha logo ali ao pé.

De Caminha até esta pequena vila, é um pulo e de mota, a viagem sabe ainda melhor.

Curiosamente, Vilar de Mouros tem cerca de 10 km2 de área e menos de 1000 habitantes, no entanto, fica perto de tudo; Cerveira, Gerês, Viana, Porto e até de Espanha. As paisagens e a zona envolvente são de uma beleza que dá vontade de ficar e conhecer em mais do que num simples fim de semana.

Á chegada, deparei-me com um vale onde o verde das árvores, muitas casas antigas e o Rio Coura dominam por completo.

O espaço desta festa, fica lado a lado com o rio e, digam o que disserem, este lugar acaba por estar carregado de História por ter sido o sítio original – incluindo o ainda existente palco – dos primeiros “Woodstock’s” portugueses. Desde 1965 até 1982 que ali se realizava o Mítico Festival Vilar de Mouros que, entre muitos outros, trouxe a Portugal uma das primeiras actuações dos U2. Ao subirmos ao palco, quase que sentimos ainda as vibrações de antigamente e acabamos por sentir uma vontade de regressar no tempo até esses tempos…

Divagações à parte, o espaço impressiona, dá gosto andar a pé, atravessar a antiga e estreita ponte, visitar a sede do GMVM e percorrer as várias praias fluviais ali num raio de 500/600 metros. Temos acampamento com 95% de sombra e relva para as tendas. Temos balneários que lá conseguiram cumprir a sua missão dentro do possível, uma tenda para as refeições, um grande bar e a cozinha nas traseiras do mesmo. Tivemos um grelhador que praticamente nunca parou em todo o fim de semana, não faltaram estacionamentos para as nossas “meninas” dentro e fora do recinto, um aspersor enorme que fez as delicias de muitos e provocou gargalhadas no domingo de manhã num espontâneo jogo da cadeira antes do almoço. Tivemos alguns vendedores que ajudaram a compor o espaço e os dois cafés/restaurantes ali perto não tiveram mãos a medir.

Surpreendentemente, encontrei amigos que não esperava encontrar na festa do GMVM e, claro, revi aqueles Amigos da Velha Guarda que reencontro quase sempre nestas festas a Norte.

Relativamente à comida, ninguém dos – mais de – 400 inscritos passou fome. Desde grelhadas mistas, passando pela massa à lavrador, porco no espeto (2, só na sexta feira) 15 kg de cogumelos mais 15 kg de sardinhas assadas e – claro! – o boi na brasa. Já tinha ouvido falar nesta tradição mas nunca tinha provado e fiquei rendido. Curiosamente não consegui apurar quanto pesava o bicho mas, “desapareceu” completamente ao jantar e noite de sábado!

Ao que apurei, não era habitual a Organização incluir o pequeno almoço nas refeições mas este ano, na manhã de sábado, havia uma senha e só tínhamos que nos deslocar ao café ali perto.

Se considerarmos que tivemos estas refeições em troca de uma inscrição de 25 euros…

Quanto ao filme do fim de semana, na sexta feira as presenças/inscrições já excediam largamente as expectativas da Organização. Foi uma noite divertida, a começar com Bob Dilligaf e a terminar com a animação do DJ Fiasco. Noite fresca, depois de um dia muito quente mas que foi divertida e bem passada.

A manhã de sábado, foi aproveitada por muitos para alguns mergulhos. Quanto a mim, uma volta até Cerveira e Espanha com paisagens de cortar a respiração e sempre com o Minho a servir de “guia”. Só não fui mais longe porque o tempo era limitado e não quis perder o que se ia passando na festa.

Durante a tarde e já com a casa cheia, houve conversas entre amigos, banhos de rio (ou de aspersor!) enquanto se ia preparando tudo para a noite.

Não tivemos jogos mas tivemos o concerto dos Renegados do Ritmo que animaram bem aquela parte da tarde até ao lanche. Não consegui chegar a tempo do lanche nem assisti ao – aparentemente – curto bike wash/t-shirt molhada mas consegui conhecer melhor o espaço circundante nessa altura.

Depois do jantar com boi na brasa e com muitos comensais, tivemos o momento hilariante da noite e algo que nunca tinha assistido; o desfile das Motorfonas! Foram vários amigos vestidos de forma espampanante que espalharam charme em palco e tornaram a noite ainda mais divertida. Tivemos ainda a entrega dos prémios, um bem executado concerto dos Pedra & Cal – apesar do som que poderia estar melhor – e strip tease. Seguiram-se os Trotil em palco. Estava curioso em ver o novo vocalista – Filipe – em acção mas, devido ao péssimo som, não consegui ficar com uma ideia certa. Faltou algum cuidado à equipa de som… O que é certo é que os Trotil pareceram-me como sempre foram mas vou esperar pela próxima actuação e com melhor som para ter a opinião definitiva.

A noite foi animada e divertida e apesar do fresco, durou até tarde.

No domingo, a visita à sede do GMVM que incluía comes e bebes e enquanto se fazia tempo para o almoço, alguns malucos divertiram-se e fizeram rir quem ali estava à volta do aspersor. Agua, lama, tropeções e cadeiras como não é habitual se ver num domingo de manhã.

A fechar, o almoço e a entrega de lembranças a perto de meia centena de grupos representados.

Era geral a opinião da esmagadora maioria – mesmo da Organização – e afirmar que este foi o melhor ano de festa do GMVM. Quer em qualidade, quer a nível de presenças. E tudo isto apesar de neste fim de semana terem decorrido outras festas com grande qualidade em vários pontos do país. Claro que é impossível contar tudo aquilo que aqui se viveu…

A Organização estava mais do que satisfeita e essa satisfação notava-se na cara dos presentes. Em resumo, espaço, condições, amigos, comida e o tempo a ajudar!

Foi mais um daqueles locais onde apetecia ficar já para 2019.

Ficaram curiosos? Para o ano haverá mais, com mais qualidade e com mais amigos presentes. No entanto, faço votos para que se continue a pensar na Qualidade e não na Quantidade!

Parabéns a toda a Organização, até para o ano e façam favor de manter esta festa assim… Especial e Diferente!

Obrigado pela oportunidade de conhecer a vossa festa!

A Equipa do Motard FM viaja com a Segurança e Conforto dos capacetes NAU N70 Duotec da NAU helmets e do sistema de comunicação bluetooth NAU 02.

 

Texto

Raul Gomes

Fotos e vídeos

Silvana Grave

Podem ser livremente utilizadas desde que exibam a marca de água “Rádio Motard FM”

Caso pretendam ver alguma foto eliminada, contactem o email abaixo.

geral@motardfm.org

www.motardfm.org

Motard FM 2018

You must be logged in to post a comment Login

Comentários

%d bloggers like this: